Percebemos que muitas vezes há uma lacuna entre a curiosidade sobre a própria imagem e os primeiros passos para as ações. Preconceito, desconhecimento, julgamentos de pessoas ao redor, mito de que é algo caro, vimos várias justificativas para a existência de um verdadeiro abismo entre as pessoas e uma imagem melhor.

Para entregar pra vocês uma ponte para romper essa lacuna, estivemos novamente conversando com nosso grande parceiro Gustavo Cury. Fizemos 3 perguntas que consideramos cruciais para entender se há algo errado e como mudar. Estamos batendo muito nessa tecla, pois ela condensa o valor que o Além do Estilo mais busca entregar aos clientes e público: investigar o que há além da imagem, o interior, valores, objetivos de vida, etc. Pretendemos tornar o exercício do autoconhecimento algo natural na carreira e, porque não, na vida de todos.

minha imagem

Stockvault

OK, não estou totalmente satisfeito com o caminhar da vida ou com a minha própria imagem no trabalho. O que fazer?

Os primeiros passos para mudar, melhorar, desenvolver, envolvem, necessariamente, trabalho na esfera psicológica pessoal. Se conhecer.

Veja o que diz Gustavo Cury de acordo com sua experiência de consultório.

1. Quais seriam os primeiros passos para as pessoas permitirem se conhecer?

Ela precisa se cansar da forma como está conduzindo a própria vida. Aceitar que a situação não está boa e que nem sempre vamos dar conta sozinhos. Há um desejo por mudança? Então sejamos coerentes com esse desejo, tomando ações de ruptura para mudar, com a humildade para buscar ajuda.

2. Como as pessoas podem descobrir seus propósitos, ou seja, o que as tira da cama todos os dias?

Um sábio da antiguidade já nos disse: conhece-te a ti mesmo. Já é um propósito em si buscar o que nos motiva, valores que devem ser praticados. É uma viagem ao nosso interior que somos obrigados a fazer. Em uma palavra: autoconhecimento.

3. Qual o ponto que você vê que é o maior obstáculo para as pessoas se manterem em dificuldades com a própria imagem?

Dificuldade em se aceitar e apego ao que eu acho que sou. Hoje em dia temos muita resistência a romper com ailusão quanto ao que somos de verdade, dificuldade em olhar pra mim com mais verdade.

Com poucas palavras podemos entender facilmente: autenticidade implica em autoconhecimento. Já falamos muito que estilo e imagem coerente é diferente de moda e imagem “correta”. Copiar estilo comprando as mesmas roupas, os mesmos acessórios caros tão cobiçados não significa necessariamente beleza, transparecer confiança ou qualquer outro valor. Por que?

Porque quem é belo, quem é confiante, quem tem valores de segurança, competência é a pessoa por trás das roupas. Você está seguro na sua atividade? Quais são os medos que atrapalham? Todos nós, sem exceção, temos fatores negativos a lidar. Em todo exercício de coaching observamos o que é potencial e o que deve ser até mesmo neutralizado.

Convidamos vocês a reflexão. Começar devagar. O que me incomoda? Que tal uma conversa sem compromisso?

Comece a tratar você como você merece: cuide de você!